Motoboys fazem ato por justiça após morte de colega a tiros em Florianópolis

08/08/2017 09:23:00
Ação foi feita na avenida Beira-Mar Norte, com cerca de 50 entregadores.

Cerca de 50 motoboys participaram na tarde de segunda-feira (7) de um ato pedindo justiça pela morte do Thiago Barleta de Lima, que foi baleado após fazer uma entrega de comida em um prédio em Florianópolis. O caso é tratado como latrocínio pela polícia.

 

Conforme o empresário João Rodrigo Teófilo, chefe de Thiago, o ato foi organizado por motoboys da capital catarinense e região continental na avenida Beira-Mar Norte. O número de participantes foi informado por Teófilo.


"Nada vai aliviar a dor da família e a dor que estamos sentindo como trabalhadores, sabendo que estamos saindo de casa para buscar o sustento da família e voltando para casa como Thiago", disse Teófilo.


Em uma ação simbólica, os participantes se ajoelharam no chão e colocaram a mão na cabeça, como se todos estivessem sendo assaltados.


Investigação


Até a noite de segunda-feira, o delegado Ênio de Matos informou que as buscas estavam começando, já que as imagens da câmera de segurança do prédio não auxiliaram na identificação do suspeito.


"Estamos começando a investigação, por enquanto, sem suspeitos. A informação que nos foi foi dada até agora é que o autor chegou a pé, agrediu a vítima e fugiu a pé, mas ninguém viu para onde foi", relatou Matos.


O crime aconteceu por volta das 22h no bairro Saco dos Limões. Thiago foi abordado ao subir na moto. Segundo a Polícia Militar, após atirar o criminoso fugiu a pé pelo mato. A moto não foi levada, apenas a carteira e o celular de Thiago.


A vítima foi atingida no peito e no abdômen. Ele foi levado para o Hospital Celso Ramos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.


Thiago seria pai em alguns meses e havia começado a trabalhar dois dias antes, após passar meses desempregado, conforme o chefe.


"O motoboy derrubou o cara, mas ele [assaltante] caiu por cima e tirou a arma", contou o porteiro do edifício, Ronaldo da Silva, que presenciou o crime.

Fonte: G1

Imagens


  • Autor: Foto: João Teófilo/Divulgação