Dois pacientes morrem de Covid-19 à espera de leito de UTI em Xanxerê

26/02/2021 11:32:00
As vítimas, uma mulher, 63 anos, e um homem, 61, esperaram por um leito há dias e estavam internados no Hospital Regional São Paulo. Unidade de saúde tem 28 pacientes que estão no aguardo de vaga.

A prefeitura de Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, comunicou na manhã desta sexta-feira (26) a morte de duas pessoas durante a madrugada que aguardavam por vaga em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). As vítimas, uma mulher, de 63 anos, e um homem, 61, que esperaram por leito há dias e estavam internados no Hospital Regional São Paulo (HSP). O município decretou estado de calamidade pública em razão da pandemia por 180 dias.

 

O primeiro óbito foi registrado por volta das 3h30. O homem possuía comorbidades e estava internado desde o dia 20 de fevereiro na emergência. A outra vítima, também com comorbidades, morreu por volta das 4h30. Ela estava internada desde o dia 23 de fevereiro. Segundo a prefeitura, os dois esperavam vaga desde o dia da internação.


Vinte e sete pessoas aguardam leitos de UTI e um paciente espera por vaga na enfermaria, conforme o último boletim divulgado pelo hospital na quinta-feira (25).


A unidade de saúde estão com 100% dos leitos ocupados. No HSP, 20 pessoas estão internada na UTI, sendo 19 com confirmação da doença e uma com suspeita. Na ala de enfermaria, todas as oito camas estão sendo usadas para pacientes com Covid-19.


O município, assim como a maior parte das cidades catarinense, enfrenta o aumento de casos da Covid-19, com hospitais em situações próximas de colapso por falta de leitos. O secretário da Saúde de Santa Catarina, André Motta, afirmou que este é o momento mais crítico da pandemia e pediu mais medidas para frear o vírus. Na quinta-feira (25), o governo anunciou decreto que prevê o fechamento dos serviços não essenciais entre 23h desta sexta até 6h de segunda (1º).


O estado registrou 657.649 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia, com 7.165 mortes. A quantidade de pessoas internadas no sistema de saúde público e privado do estado é a maior desde o início da pandemia: 886.


De acordo com a prefeitura, Ministério da Saúde enviará dois técnicos nesta sexta-feira (26) para avaliar as necessidades do município e o que deve ser feito em relação à falta de leitos hospitalares.


Calamidade pública


Segundo a prefeitura, o decreto de situação de calamidade pública é necessária em razão do colapso na saúde pela falta de leitos hospitalares para pacientes com Covid-19, também pelo aumento no número de casos ativos e por registrar o segundo maior índice de transmissibilidade do estado: 1,47%.


Assim, com o decreto, a prefeitura acredita que possa usar recursos de maneira mais rápida, enfrentando menos trâmites burocráticos.


A prefeitura enviou ofícios para o governo estadual solicitando apoio imediato do Exército Brasileiro, com a designação de médicos para atuar no enfrentamento da pandemia, e pedindo a implantação imediata de leitos de UTI Covid-19 no Hospital Santo Expedito de Ponte Serrada, também no Oeste.


Houve ainda a solicitação de apoio à instalação de um Hospital de Campanha com respiradores pulmonares e concessão de vagas em leitos de UTI no Hospital das Forças Armadas de Florianópolis para o Comando da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada.


Durante coletiva de imprensa de quarta, o prefeito de Xanxerê, Oscar Martarello, chorou ao falar sobre a situação do sistema de saúde da cidade.


Ambulatório de campanha


Um ambulatório de campanha começou a funcionar na manhã desta quinta-feira (25). O local tem 25 leitos de observação. Até quinta, 13 pacientes estão internados no local recebendo oxigênio.⠀


Segundo a prefeitura, os pacientes que estão internados no ambulatório de campanha permanecerão na unidade de saúde aguardando vagas em leitos hospitalares com Covid-19.


Decreto municipal com restrições


Para tentar conter os avanços da pandemia na cidade, a prefeitura aprovou medidas restritivas na quarta-feira (24). Na segunda-feira (22) o município já havia publicado um decreto restringido a circulação de pessoas na cidade.


Confira abaixo algumas das restrições:


suspensas as atividades industriais, comerciais e de prestação de serviços até domingo (28), com exceção de serviços públicos essenciais. Postos de combustíveis podem funcionar, desde mantenham fechadas as lojas de conveniências;

aulas presenciais nas rede pública e privada, tanto em nível municipal, como estadual ou federal ficam suspensas até 31 de março.

supermercados podem abrir. Eles devem disponibilizar álcool 70% na entrada para higienização das mãos;

restaurantes, lanchonetes e padarias poderão funcionar apenas com serviço de entrega, sem consumo no local;

proibida a venda de bebidas alcoólicas em todo o território municipal até 8h de segunda (1º);

proibidas as reuniões de pessoas para o consumo de bebidas alcoólicas em espaços públicos, particulares e áreas comuns de condomínios;

serviços públicos não essenciais deverão priorizar a atividade em home office.

Fonte: G1 SANTA CATARINA

Imagens


  • Autor: Foto: Ana Lucietto/Divulgação/HRSP