Suspeita de matar cunhado para defender irmã de agressões é presa em Brusque

11/01/2021 10:56:00
Segundo a Polícia Civil, a mulher de 41 anos deixou o local logo após o crime com o filho e o companheiro, de 55 anos, por medo de ser linchada pela família da vítima. Ela foi localizada cerca de 5 quilômetros e confessou a autoria.

Um homem de 35 anos morreu esfaqueado na noite de sábado (9) em Brusque, no Vale do Itajaí. A principal suspeita do crime é a cunhada da vítima, de 41 anos. Presa em flagrante, ela disse à polícia que desferiu quatro golpes de faca contra ele para defender a irmã que estava sendo agredida.

 

O caso ocorreu por volta das 19h30, no bairro Santa Luzia. Segundo a Polícia Civil, a mulher ligou para a Polícia Militar e deixou o local logo após o crime com o filho e o companheiro, de 55 anos, por medo de ser linchada pela família da vítima. Ela foi localizada cerca de 5 quilômetros e confessou a autoria.


O Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas a vítima já estava morta. O Instituto Geral de Perícias (IGP) foi até o local e fez uma perícia. O corpo foi recolhido para exames.


Agressões


Em depoimento, a suspeita contou aos policiais que o homem havia discutido e agredido a companheira no sábado de manhã. À tarde, ele retornou e fez ameaças e novas agressões tiveram início. O filho e o marido da autora do crime teriam tentado separar a briga antes dos golpes de faca.


Além da mulher de 41 anos, o companheiro e filho e irmã dela foram levados à delegacia. Os três relataram os fatos e foram liberados. Conforme o delegado Marcelo Almeida, a mulher foi presa e responderá pelo crime de homicídio simples.


"A investigação vai ficar por conta da delegacia de Brusque, aí eles vão aprofundar melhor se teve qualificadora ou não, o que aconteceu, se foi legítima defesa ou não, conforme eles alegam. Isso tudo vai ser melhor agora apurado", disse.


Na delegacia, a companheira do homem morto e irmã da autora, de 34 anos, mostrou marcas de agressão pelo corpo. As outras testemunhas confirmaram a versão das agressões.

Fonte: G1 SANTA CATARINA

Imagens