Warning: mime_content_type(/home/u210603454/public_html/public/uploads/noticias/6e314a2d74856a30800aa515383fed24.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/u210603454/public_html/module/Jornal/view/layout/jornal.phtml on line 55

Warning: getimagesize(/home/u210603454/public_html/public/uploads/noticias/6e314a2d74856a30800aa515383fed24.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/u210603454/public_html/module/Jornal/view/layout/jornal.phtml on line 56

Datafolha: 52% isentam Bolsonaro de culpa por mortes na pandemia; para 8%, ele é o principal culpado

14/12/2020 08:07:00
Pesquisa foi feita por telefone nos dias 8 a 10 de dezembro, com 2.016 brasileiros. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (13) pelo jornal "Folha de S.Paulo" mostra que 52% dos brasileiros acreditam que o presidente Jair Bolsonaro não tenha culpa pelas mortes na pandemia de Covid-19. Mais de 181 mil pessoas morreram no país em função da doença desde março.

 

Os percentuais do levantamento são:


52% consideram que Bolsonaro não tem culpa nenhuma

38% consideram que Bolsonaro é um dos culpados, mas não principal

8% consideram que Bolsonaro é o principal culpado

2% não sabem responder


A pesquisa Datafolha foi realizada dos dias 8 a 10 de dezembro, com 2.016 brasileiros, por telefone. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.


Em outra pesquisa, feita nos dias 11 e 12 de agosto, os números eram diferentes:


47% consideravam que Bolsonaro não tem culpa nenhuma

41% consideravam que Bolsonaro é um dos culpados, mas não principal

11% consideravam que Bolsonaro é o principal culpado

2% não souberam responder


A pesquisa Datafolha de dezembro também mostrou que a aprovação (ótimo/bom) de Bolsonaro se manteve em 37%, a reprovação ( péssimo/ruim) foi de 32%, a avaliação "regular" ficou em 29%, e 3% não sabem ou não responderam.


A pesquisa de dezembro também questionou os entrevistados sobre o desempenho do presidente na pandemia. Os percentuais são:


42% avaliam como ruim ou péssima a atuação de Bolsonaro (11 e 12/08: 43%; 23 e 24/06: 49%; 25 e 26/05: 50%; 27/04: 45%; 17/04: 38%; 03/04: 39%; 18 a 20/03: 33%)

30% avaliam como ótima ou boa a atuação de Bolsonaro (11 e 12/08: 30%; 23 e 24/06: 27%; 25 e 26/05: 27%; 27/04: 27%; 17/04: 36%; 03/04: 33%; 18 a 20/03: 35%)

27% avaliam como regular a atuação de Bolsonaro (11 e 12/08: 25%; 23 e 24/06: 23%; 25 e 26/05: 22%; 27/04: 25%; 17/04: 23%; 03/04: 25%; 18 a 20/03: 26%)


O levantamento aponta ainda que a maioria acredita que o país não tenha tomado atitudes necessárias para evitar o alto número de mortes na pandemia. Os percentuais são:


Para 53%, o país não fez o que era necessário para evitar esse número de mortes

Para 22%, nada que o país fizesse evitaria esse número de mortes

Para 22%, o país fez o que era necessário para tentar evitar esse número de mortes

4% não sabem responder


O Datafolha também questionou sobre o desempenho do Ministério da Saúde, dos governadores e dos prefeitos na pandemia.


Os percentuais em relação ao ministério são:


36% consideram regular (11 e 12/08: 31%; 23 e 24/06: 31%; 25 e 26/05: 32%; 27/04: 26%; 03/04: 18%; 18 a 20/03: 31%)

35% consideram ótimo ou bom (11 e 12/08: 37%; 23 e 24/06: 33%; 25 e 26/05: 45%; 27/04: 55%; 03/04: 76%; 18 a 20/03: 55%)

27% consideram ruim ou péssimo (11 e 12/08: 31%; 23 e 24/06: 34%; 25 e 26/05: 21%; 27/04: 13%; 03/04: 5%; 18 a 20/03: 12%)


Já os percentuais em relação ao desempenho dos governadores são:


41% consideram ótimo ou bom (23 e 24/06: 44%; 25 e 26/05: 50%; 17/04: 54%; 1º a 03/04: 58%; 18 a 20/03: 54%)

30% consideram ruim ou péssimo (23 e 24/06: 29%; 25 e 26/05: 25%; 17/04: 20%; 1º a 03/04: 16%; 18 a 20/03: 16%)

28% consideram regular (23 e 24/06: 26%; 25 e 26/05: 24%; 17/04: 24%; 1º a 03/04: 23%; 18 a 20/03: 28%)


E o desempenho dos prefeitos na pandemia:


42% consideram ótimo ou bom (23 e 24/06: 44%; 03/03: 50%)

30% consideram ruim ou péssimo (23 e 24/06: 34%; 03/03: 22%)

26% consideram regular (23 e 24/06: 21%; 03/03: 25%)

Fonte: G1

Imagens


  • Autor: Isác Nobrega / PR