Após anúncio de expulsão, candidato a vereador de SC conhecido por suástica na piscina pede desligamento do PL

10/10/2020 10:08:00
Manifestação foi feita na noite de quinta-feira e confirmada pela assessoria da legenda no início desta sexta-feira. Justiça Eleitoral decidirá se ele segue ou não candidato.

O candidato a vereador em Pomerode Wandercy Antonio Pugliesi, que ficou conhecido em 2014 por ter na piscina da casa um desenho de suástica nazista, pediu desligamento do partido. A manifestação foi feita ainda na noite de quinta-feira (8) após o anúncio de expulsão da legenda e confirmada pela assessoria do partido no início desta tarde de sexta-feira (9). A Justiça Eleitoral decidirá se ele segue ou não candidato.

 

Inscrito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como Professor Wander, Pugliesi lecionou História para alunos do Ensino Médio durante anos no Vale do Itajaí. Em 1998, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), materiais com mensagens de apologia ao regime nazista foram apreendidos pela Polícia Federal na residência do professor. De acordo com a NSC, ele não foi condenado criminalmente.


Procurado pelo G1 SC, o candidato chegou a atender a ligação, mas desligou após a identificação da reportagem. A defesa dele também não respondeu aos contatos.


Em 2014, uma foto da piscina na propriedade de Pugliesi que mostrava a suástica foi feita por policiais civis durante uma ocorrência em Pomerode. À época, ele não chegou a ser denunciado já que a polícia considerou que o professor não fazia propaganda nazista ao manter o símbolo dentro de casa.


Em nota, o PL catarinense informou desconhecer a filiação do candidato. Conforme o diretório catarinense, a candidatura foi conduzida diretamente pelo diretório municipal.


"Por não compactuar ideologicamente com o filiado, o PL encaminhou o desligamento do mesmo", disse o comunicado assinado pela partido ao reforçar a posição contra todo tipo de apologia à discriminação racial, religiosa e social.


Eleição


De acordo com o Sistema da Justiça Eleitoral, o professor de 58 anos se filiou ao PL em 31 de março deste ano. Já o edital de candidatura em que consta o nome de Pugliesi foi protocolado em 28 de setembro, na 55º Zona Eleitoral. Até as 13h desta sexta-feira, o nome dele constava ativo no site do TSE e sem alteração na situação da candidatura.


O presidente da Comissão Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil de Santa Catarina (OAB/SC), Paulo Fretta, explica que a situação do processo de registro de candidatura de Pugliesi está ainda está sendo analisada pelo juiz eleitoral da comarca.


"Um dos requisitos obrigatórios para o registro de candidatura e, consequentemente, participar das eleições, é ter uma filiação partidária válida e regular. E assim ela deve permanecer até a data de eleição, porque ele já requereu registro vinculado a legenda e concorre sob o número da agremiação. Com o pedido de cancelamento da filiação, ele deixa de ter esse requisito obrigatório", explica.


Ainda de acordo com Fretta, a situação será avaliada no julgamento pela Justiça Eleitoral do registro de candidatura. "Então, muito provavelmente ele deverá ter o registro indeferido. Importante mencionar que cabe, também, ao partido ao qual ele se desfiliou informar o fato a Justiça Eleitoral para que possa promover a substituição do candidato. Mas realmente essa decisão só vai caber a Justiça Eleitoral e posteriormente o PL terá o direito de substituí-lo", afirma.

Fonte: G1 SANTA CATARINA

Imagens


  • Autor: Foto: Polícia Civil/Divulgação