Pesquisa em SC aponta que 75% dos pais não pretendem autorizar retorno dos filhos às aulas presenciais

12/09/2020 09:45:00
Levantamento da Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina foi realizado no mês de julho em 9 cidades, entre elas Joinville.

Uma pesquisa feita pela Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc) apontou que 75% dos pais de estudantes do Norte catarinense não pretendem autorizar a volta dos filhos às escolas com a retomada das aulas presenciais no estado.

 

O levantamento foi realizado com 45 mil pais e responsáveis de nove cidades da região: Joinville, Araquari, Balneário Barra do Sul, Campo Alegre, Garuva, Itapoá, Rio Negrinho, São Bento do Sul e São Francisco do Sul.


Os participantes responderam as perguntas por meio de um questionário digital aplicado entre os dias 10 e 29 de julho. Segundo a Amunesc, cada município recebeu seu diagnóstico e está analisando os dados para compreender o cenário e traçar os próximos passos em relação ao ensino.


As aulas foram suspensas em 19 de março e continuam assim pelo menos até 12 de outubro na rede estadual de educação, nas redes municipais e também em escolas privadas.


Na quarta-feira (9), a Secretaria de Estado da Educação apresentou as diretrizes estabelecidas para o retorno dos alunos às escolas da rede estadual, previsto para o dia 13 de outubro, dependendo da situação sanitária do estado no fim de setembro.


As regras, válidas também para os municípios, serão oficializadas em um decreto do governo estadual, ainda sem data para ser publicado.


Veja os principais dados


A pesquisa questionou se os pais mandariam os estudantes para as escolas na retomada das aulas presenciais: 75% responderam que não e 25% por cento disseram que sim.


Também perguntou se os pais mandariam os filhos para a escola em um sistema híbrido, intercalando o ensino à distância com o presencial: 52,6% responderam sim e 47,4% responderam que não.


Em relação aos estudantes em grupo de risco, mais de 80% dos entrevistados responderam que os filhos não fazem parte de grupos de risco para a Covid-19 e cerca de 18% responderam que sim.


Questionados se algum familiar integra o grupo mais vulnerável à doença, 57,8% responderam que sim e 42,2% disseram que não.

Fonte: G1 SANTA CATARINA

Imagens