Warning: mime_content_type(/home/u210603454/public_html/public/uploads/noticias/70322cee30719b24d4295288eaa5ecea.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/u210603454/public_html/module/Jornal/view/layout/jornal.phtml on line 55

Warning: getimagesize(/home/u210603454/public_html/public/uploads/noticias/70322cee30719b24d4295288eaa5ecea.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/u210603454/public_html/module/Jornal/view/layout/jornal.phtml on line 56

Deputados entregam novo pedido de impeachment contra Moisés

08/09/2020 14:26:00

Nesta terça-feira (8), os deputados Sargento Lima (PSL) e Ivan Naatz (PL) entregaram à presidência da Assembleia Legislativa de SC (Alesc) um novo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva. Este foi o oitavo pedido de impeachment contra o líder do Executivo e é resultado das investigações da CPI dos respiradores, em que Lima foi presidente, e Naatz relator. O pedido consta no relatório final da CPI, que aponta o indiciamento de 14 pessoas, entre elas o governador. 

 

"A CPI concluiu por unanimidade depois de uma vasta investigação de que o governador Carlos Moisés efetivamente teve participação omissiva e comissiva nesse prejuízo que sofreu Santa Catarina na compra dos respiradores fantasmas", disse Naatz. 


A base para o pedido é a suposta mentira do governador à CPI sobre a data de sua ciência acerca do caso dos respiradores. Em depoimento, Moisés disse que soube do caso no dia 22 de abril. A informação é conflitante com o que diz o governador em live logo após a publicação da matéria do The Intercept Brasil sobre o caso. Na ocasião, Moisés afirma que teve conhecimento do fato no dia anterior, ou seja, 28 de abril.


Também devem pesar contra ele a assinatura de um Projeto de Lei (PL) que previa a permissão de pagamento antecipado - e que nunca foi tramitado - e o registro de conversa com o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior - em que recebe alertas sobre pagamento antecipado. Os dois fatos devem ser apontados como indícios de que Moisés sabia da compra da Veigamed.


Diferente dos dois pedidos já admitidos pela Casa, este não envolve a vice-governadora Daniela Reinehr. 

Fonte: RCN

Imagens


  • Autor: Foto: Reprodução