Declaração do Imposto de Renda segue até dia 30

13/04/2019 11:47:00
A orientação do Sindicont é que os contribuintes procurem os contabilistas para realizar a declaração para não cair na Malha Fina

O prazo para a entrega da declaração de Imposto de Renda encerra no dia 30 de abril e as pessoas que precisam declarar devem ficar atentas às exigências. Existem diversos critérios que devem ser observados para saber se precisa ou não entregar a Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física. Entre os critérios, pode se destacar que estão obrigados os residentes no Brasil que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 ou que tem patrimônio superior a R$ 300.000,00.

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Contabilistas do Alto Vale do Itajaí (Sindicont), Marco Aurélio Kuhnen Schulle, a orientação é que as pessoas procurem profissionais da contabilidade para realizar a declaração. “A orientação de um profissional é essencial para evitar possíveis problemas com a Receita Federal. O cidadão comum tem muita dificuldade por conta da complexidade da nossa legislação tributária. Muita gente cai na Malha Fina por deixar de declarar algum item obrigatório, ou paga mais imposto do que deveria, por desconhecer algumas das despesas dedutíveis”.

Ainda sobre a complexidade no momento de realizar a declaração, Marco comenta que a própria Receita Federal disponibiliza um espaço de “Perguntas e Respostas”, que possui 278 páginas. “E este é apenas um material complementar ao “manual” que acompanha o aplicativo, com mais 394 páginas”, completa.


A pessoa obrigada a declarar e que perder o prazo, ficará sujeita a uma multa, sendo que o valor pode variar de acordo com o período do atraso e também com o valor do imposto que deveria ter sido declarado. A Receita Federal estipula uma multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido apurado na declaração, sendo que o valor mínimo é de R$ 165,74 e o valor máximo é de 20% do imposto sobre a renda devido.

Atividade Rural

Em relação à atividade rural, deve declarar quem obteve receita bruta anual superior a R$ 142.798,50, ou pretenda compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos de anos-calendários anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018.


Fonte: Elisiane Maciel - Diário Alto Vale

Imagens