Prefeito de Nova Erechim é preso suspeito de crimes contra a administração pública

01/03/2019 13:35:00
Segundo a polícia, político teria coagido testemunhas e feito ameaças após indiciamentos.

O prefeito de Nova Erechim, no Oeste catarinense, Nédio Antônio Cassol (MDB), de 61 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (1º), suspeito de crimes contra a administração pública. O cumprimento dos dois mandados de prisão preventiva ocorreu na prefeitura do município por volta das 7h.

 

 

Segundo o delegado Arthur Lopes, que presidiu as investigações e deu cumprimento aos mandados, a prisão é desdobramento do encerramento de dois inquéritos policiais, que indiciaram o político. Os crimes estariam ocorrendo desde 2016 e a investigação foi concluída no fim do ano passado.

G1 tenta contato com a defesa do prefeito. O secretário de administração Leandro Silva, disse que neste primeiro momento a administração pública não vai se pronunciar sobre o caso.

"Foram dois inquéritos policiais, que apuraram a conduta do prefeito, então ficou bem delineado as cobranças de propina de empresários que contratavam e prestavam serviços licitados com a prefeitura", explicou o delegado .

De acordo com a polícia, Cassol vai responder pelos crimes de corrupção passiva, aplicação indevida de verba pública.

O prefeito também irá responder por coação, por tentar interferir no curso do processo, pois conforme a Polícia Civil, mesmo depois dos indiciamentos, ele continuou coagindo testemunhas e fazendo ameaças.

O Ministério Público também denunciou o prefeito por corrupção passiva majorada. Cassol foi levado para o Presídio Regional Masculino de Chapecó.

Verbas públicas

A investigação apontou que por mais de uma vez, o prefeito teria pedido propina a um empresário para afastar um concorrente de uma licitação, por meio de ameaças. A polícia conseguiu rastrear o cheque recebido como propina.

O secretário municipal municipal de Obras e Serviços Públicos, Valdecir Solivo, também foi indiciado e denunciado como coautor do crime de uso indevido de verba pública, mas vai cumprir medidas cautelares, que envolvem proibição de manter contato com a vítima e testemunhas e suspensão do exercício das funções públicas. A reportagem não conseguiu contato com a defesa do secretário.

Além de notificar o afastamento cautelar de Cassol, o oficial de Justiça comunicou à Mesa Diretora da Câmara de Vereadores do Município de Nova Erechim, ao vice-prefeito Ramirez Tápia (PMDB/PSD) que deve assumir o cargo, e ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina.

Fonte: G1 SC

Imagens


  • Autor: Foto: Valeska Lippel/NSC TV